Cultura Afro

Câmara lança Frente Parlamentar de apoio à criação do Museu Nacional da Memória Afro

publicado: 26/11/2013 20h11, última modificação: 26/11/2013 20h11

Na tarde desta terça-feira (26), foi lançada, na Câmara dos Deputados, uma Frente Parlamentar em apoio à criação do Museu Nacional da Memória Afro em Brasília. O ato foi coordenado pelo deputado Edson Santos. A ministra Marta Suplicy compareceu à cerimônia de lançamento da Frente e expressou seu empenho na construção do Museu: “Eu acredito que iniciar as obras do Museu vai ser a coisa mais importante da minha gestão no MinC”, disse Marta.

Segundo o deputado Edson Santos, que classificou a construção do Museu como “um sonho”, a Frente já conta com 210 deputados que apoiam sua realização.

A ministra Marta Suplicy também ressaltou a importância simbólica de o Museu ser construído na capital do país: “O Brasil tem uma identidade negra. O nosso país é um país negro. Essa história precisa ser contada”.

Compuseram a mesa, ao lado da ministra da Cultura (foto à direita), os presidentes da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra; IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus), Ângelo Oswaldo; e o da Fundação Casa de Rui Barbosa, Manolo Rangel; três instituições vinculadas ao Mininstério da Cultura. Também a deputada Jandira Feghali. O evento contou, ainda, com a presença de vários deputados.

EXPERIÊNCIA DIFERENCIADA

Marta Suplicy destacou também que o Museu será um espaço muito moderno e um Centro de Referência da Cultura Negra onde o visitante poderá, através do uso de interatividade e tecnologia de ponta, conhecer a trajetória dos povos afrodescendentes no Brasil e reconhecer a importância deles na construção da identidade cultural do País.

O projeto já existe e está sendo reformulado pela Fundação Cultural Palmares em conjunto com o IBRAM.

A ministra informou ainda que estão sendo coletadas experiências em museus de todo o Mundo, de modo a buscar a melhor forma de contar a história do negro no Brasil: “Precisamos reconhecer de vez os males que a escravidão deixou no Brasil e a importância da contribuição dos afrodescendentes para a cultura do país.”

EMENDAS

Entre as iniciativas que o MinC está pleiteando junto aos deputados, por meio de emendas parlamentares, estão a tradução de pesquisas feitas pela Fundação Casa de Rui Barbosa, o projeto museográfico (digital) e ainda a digitalização do acervo de outros 6 museus de temática afrodescendente.  

O primeiro passo para que o projeto se torne realidade já foi dado. Segundo o deputado Edson Santos, ele destinou R$ 300 mil reais, por meio de emenda parlamentar, para que o Ministério da Cultura e o Instituto dos Arquitetos do Brasil realizem um concurso para escolha do projeto arquitetônico do Museu que será construído em Brasília. Outros deputados também se comprometeram em ajudar.
 
LOCAL

O terreno onde será construído o Museu já existe e foi cedido pelo Governo do Distrito Federal. No final do ano passado, a ministra Marta Suplicy e o governador do DF, Agnelo Queiroz, assinaram termo que garante a doação do terreno, que fica às margens do Lago Paranoá. A área reservada teve a pedra fundamental do Museu colocada por Nelson Mandela em sua visita ao Brasil, ainda nos anos 90.

(Texto: Bruno Amorim
Foto: Elisabete Alves)